Tag: corporações
Quem roubou o amanhã de ontem?
É 2015. Alguém aí viu nossos carros voadores? E, além dos apetrechos eletrônicos legais, onde está a tranquilidade e segurança econômica que nos prometeram em De Volta para o Futuro II? Por que elas parecem estar tão ausentes quanto seus aparelhos de fax e laserdiscs? E por que, nestes cinquenta anos da Feira Mundial de…
Leninismo corporativo
No dia 9 de setembro, Dilma Rousseff, em sua campanha pela reeleição, afirmava que a concorrente Marina Silva pretendia “entregar aos banqueiros” a condução da economia brasileira. O blefe eleitoral de Dilma presumia que os eleitores acreditassem que os banqueiros não sejam uma classe capaz de ditar os rumos da política econômica atual do governo….
A consciência negra e sua luta libertária
Na década de 60, importantes nomes do movimento libertário norte-americano tiveram contato com as mobilizações promovidas pela New Left (“Nova Esquerda”), que se caracterizava, em contraposição à velha esquerda, pela desconfiança dos métodos de organização centralistas e das táticas pró-fortalecimento do estado, e por sua ênfase na inclusão de grupos segregados ou minoritários dentro da elevação do padrão…
Azuis ou vermelhos, eles só querem saber das verdinhas
As discussões políticas nos Estados Unidos frequentemente deixam de perceber a diferença entre “pró-empresas” e “pró-mercado”. A incapacidade de observar as implicações dessa diferença leva os comentaristas políticos e os eleitores a acreditar que, se um candidato é pró-empresas, naturalmente deva ser um ardente defensor do mercado livre. Ultimamente essa narrativa ultrasimplificada está sendo desafiada,…
A controvérsia do Burger King: Uma defesa do regicídio
[O título deste artigo é um jogo de palavras com o nome da rede Burger King e com o regicídio, que significa o assassinato do rei (isto é, “king”).] O anúncio da compra da rede de fast food canadense Tim Hortons pelo Burger King e os novos planos da empresa de se mudar para o…
O protecionismo está morto. Vida longa ao protecionismo!
É frequente ouvir notícias sobre tratados — como a Rodada do Uruguai, o NAFTA, o CAFTA ou o TPP — descritos como “acordos de livre comércio”, cujos objetivos são “reduzir as barreiras comerciais”. Isso é mentira. Sem exceção, esses acordos fortalecem uma das formas de protecionismo mais vitais à proteção dos interesses corporativos contra a…
Como o Brasil aprendeu que a Copa não é só futebol
Uma característica que torna o futebol um esporte genuinamente brasileiro é que sua predileção transcende classes sociais e estratos econômicos. Crianças e adolescentes de todas as classes podem jogá-lo. A bola pode ser improvisada e a diversão ainda estará garantida. O futebol também é um dos fundamentos do patriotismo no Brasil, que se reaviva na…
As barreiras à entrada no mercado e a escassez artificial
Há décadas as regulamentações de táxi têm sido excelentes exemplos de como a proteção do governo cria privilégios, rendimentos artificiais e estimula o trabalho assalariado. Além do grande conjunto de regulamentações que definem até a cor das meias dos motoristas, o sistema de “praças” limita dramaticamente o número de táxis nas grandes cidades, ao mesmo…
A neutralidade da rede é uma distração do problema verdadeiro
O Marco Civil da Internet foi aprovado pela Câmara dos Deputados nesta terça-feira (15), sendo encaminhado para votação no Senado. Um dos principais pontos do projeto de lei 2.126/201 é assegurar a neutralidade da rede, impedindo que os provedores possam ofertar pacotes de conexão diferenciados – por exemplo, acesso por um preço mais baixo apenas…
Por que eu odeio o governo e não sou o maior fã de Bob Garfield
“A estupidez, ela dói!” É só uma figura de linguagem, claro, mas, às vezes, a frase é quase literalmente verdadeira. A carta de amor de Bob Garfield ao estado (“I Luv Big Gov“, publicado em Slate em 15 de fevereiro) chega muito perto. Direitistas convictos são mais fáceis de se lidar. São pessoas que gostam…
Free Markets & Capitalism?
Markets Not Capitalism
Organization Theory
Conscience of an Anarchist