Center for a Stateless Society
A Left Market Anarchist Think Tank & Media Center
Acabem com a Guerra Dentro do País, Acabem com a Guerra no Exterior

The following article is translated into Portuguese from the English original, written by Nathan Goodman.

De acordo com a Tribuna de Salt Lake, às 2:30 da madrugada de 20 de dezembro Eric Hill foi acordado por sua amedrontada filha, que havia ouvido batidas perto do guarda-roupa dela. Em seguida ele ouviu batidas fortes na porta da frente.

Amedrontado com a perspectiva de invasão de sua casa ou arrombamento, Hill armou-se com um taco de beisebol e abriu a porta. Seis homens de preto, armados com rifles de assalto e armas táticas, ordenaram-lhe que deixasse cair o taco e algemaram-no. Um dos homens disse que se Eric estivesse empunhando uma arma de fogo em vez de um taco, eles o teriam  “fuzilado.”

Vários daqueles homens entraram na casa de Hill empunhando suas armas, amedrontando a mulher dele, Melanie Hill, e os filhos deles. Eric Hill declarou: “Depois dos disparos [de Newtown, Conn.] que haviam acontecido havia pouco, meu filho [mais velho] já estava com medo de ir à escola,” e que seus filhos “estão simplesmente traumatizados com isso.”

Os invasores da casa que traumatizaram os filhos de Hill eram do Departamento de Polícia de Ogden. No entanto, Hill não estava sendo procurado por nenhum crime. Ele fora confundido com outro homem, acusado de “deserção” da instituição militar.

Além da específica incompetência da polícia que esse incidente reflete, o fato diz-nos muito acerca da militarização da polícia. Perseguindo um suspeito acusado de ofensa não violenta, a polícia se armou com múltiplos rifles de assalto e armas táticas e optou por invadir um lar no meio da noite. Declarou sua disposição de matar qualquer pessoa que empunhasse uma arma de fogo para defender seu lar de tal incursão. E essa foi a polícia de Utah, onde propriedade de armas é comum.

Essa não foi a primeira incursão militarizada levada a efeito pela polícia de Ogden a ganhar o noticiário da mídia. Em 2010, o residente de Ogden Todd Blair foi morto numa incursão a propósito de drogas em seu lar. A Tribuna de Salt Lake informou à época que “Os disparos foram considerados legalmente justificáveis.” Matthew Stewart foi sujeitado a incursão similar no meio da noite no início de 2012, mas teria disparado contra os invasores da casa. Está há meses na prisão e enfrenta acusações de assassínio. O promotor, Dee Smith, busca a pena de morte. Smith é também o encarregado de investigar disparos feitos pela polícia, e até hoje não considerou nenhum disparo injustificável.

A militarização das forças policiais estadunidenses é uma tendência nacional, levada a efeito em concerto com o resto do estado beligerante. Radley Balko escreve que “Diversas polícias federais têm estimulado essa tendência, inclusive oferecendo a departamentos da polícia no país treinamento militar, permitindo treinamento junto a organizações militares, usando programas “contratação de veteranos de guerra como policiais” e oferecendo equipamento e armamento militar excedente  a departamentos de polícia no país de graça ou com grandes descontos.” Já há anos a guerra no exterior vem chegando ao país, com a polícia atuando menos como “autoridades da paz” e mais como soldados.

Entretanto, o recente incidente com Eric Hill torna mais óbvia a conexão entre a militarização da polícia dentro do país e o militarismo estadunidense no exterior. A polícia fez incursão no lar de Hill no meio da noite e traumatizou sua família porque o confundiu com um homem que alegadamente decidira parar de trabalhar para a instituição militar dos Estados Unidos.

Em qualquer emprego comum, quando você não comparece o chefe não manda homens com armas de fogo prender você. Entretanto, se você resolver parar de trabalhar para a instituição militar, a polícia armada aparecerá com armas de fogo disparando para punir você. A instituição militar dos Estados Unidos é uma instituição que espalha violência no exterior impunemente. Seus aviões não tripulados bombardeiam funerais e equipes de salvamento no Paquistão e despejam bombas de fragmentação no Iêmen. Suas tropas ocupam, torturam e matam no Iraque e no Afeganistão. A instituição militar dos Estados Unidos promove violência até em Honduras e Guatemala atualmente. Isso significa que Eric Hill foi atacado pela polícia não por ser suspeito de estar cometendo violência agressora, e sim por ser suspeito de recusar-se a cometer violência agressora.

A mensagem parece ser: Se você não conseguir participar de violência no exterior, o estado sujeitará você a violência dentro do país.

É hora de acabar com as guerras, tanto dentro do país quanto no exterior.

Artigo original afixado por Nathan Goodman em 31 de dezembro de 2012.

Traduzido do inglês por Murilo Otávio Rodrigues Paes Leme.